Nota do Comitê de Crise – 08/07/2021


Considerando a reunião realizada no dia 08/07/2021, em continuidade à reunião de 25/06/2021, para debater a situação atual da pandemia de Covid-19 no estado de Santa Catarina e os desdobramentos desse cenário para o IFC, o Comitê de Crise torna públicos os seguintes encaminhamentos:

  • Atualização dos indicadores para o monitoramento da pandemia:
  1. Inclusão do percentual de vacinados, na Região da Saúde, como critério complementar para o avanço das fases;
  2. Alteração do indicador “leitos de UTI Adulto Covid” para “leitos de UTI Adulto Geral”, que passa a ser definido a partir do número máximo (teto) de leitos ativos;
  3. Inserção de pesos aos indicadores e de um indicador síntese (resultado da soma dos indicadores individuais), cujo somatório deve alcançar 15 pontos para possibilitar o avanço de fase;
  4. Inserção de uma “trava de segurança”: caso o número de ocupantes dos leitos de UTI Adulto supere o percentual de 80%, mesmo atingindo 15 pontos no indicador síntese, a unidade (campus) não avançará de fase (https://subcomitecientifico.ifc.edu.br/wp-content/uploads/sites/53/2021/07/Retifica%C3%A7%C3%A3o-NOTA-T%C3%89CNICA-002.pdf).
  • Aprovação de alteração do POP das Bibliotecas, definindo-se o detalhamento de funcionamento em cada uma das fases em que o Plano de Contingência estiver; 
  • Aprovação de alteração do POP de Serviços de Alimentação, que foi ajustado para melhor atender a atualização da legislação;
  • O Comitê de Crise do IFC reitera o entendimento de que a vacinação deve ser obrigatória para os servidores do Instituto, no entanto, esclarece que não há previsão legal para sancionar aqueles que, eventualmente, não se vacinarem. Para fins de planejamento do retorno à presencialidade, será realizado um levantamento acerca da vacinação dos servidores. 
  • Atualização do Plano de Contingência, com a alteração das Atividades Escolares da Fase 2, conforme segue:
  1. Onde se lê: “Realização de atividades práticas (cuja presencialidade seja imprescindível para a realização)”;
  2. Leia-se: “Realização de atividades práticas e avaliativas (cuja presencialidade seja imprescindível para a realização)”.

Observação: fica ao encargo do SCO de cada unidade avaliar as solicitações de atividades práticas e avaliativas, assim como autorizá-las, respeitados os percentuais da Fase 2 e de cada uma das subsequentes previstas no Plano de Contingência do IFC, até o retorno integral das atividades mediante a presencialidade de 100% dos servidores e alunos.

  • Retificação da redação da Nota do Comitê de Crise emitida em 12/05/2021, conforme segue:
  1. Onde se lê: Recomendar aos SCOs a análise sobre os pedidos para o desenvolvimento de atividades de projetos de ensino, pesquisa e extensão nas dependências dos campi, desde que seja caracterizada a essencialidade da atividade (conforme Nota do Comitê de Crise de 19/11/2020 e Nota de 20/03/2020), com a apresentação de parecer favorável da Coordenação de Pesquisa do campus (ou equivalente). As atividades em projetos de ensino, pesquisa e extensão que não justifiquem caráter de essencialidade ou não se enquadrem naquelas indicadas como possibilidade de perdas técnicas e científicas irreparáveis permanecem remotas e serão retomadas presencialmente na Fase 3.2 do Plano de Contingência.
  2. Leia-se: Recomendar aos SCOs a análise sobre os pedidos para o desenvolvimento de atividades de projetos de ensino, pesquisa e extensão nas dependências dos campi, desde que seja caracterizada a essencialidade da atividade (conforme Nota do Comitê de Crise de 19/11/2020 e Nota de 20/03/2020), com a apresentação de parecer favorável da Coordenação de Pesquisa ou Ensino ou Extensão do campus (ou equivalente). As atividades em projetos de ensino, pesquisa e extensão que não justifiquem caráter de essencialidade ou não se enquadrem naquelas indicadas como possibilidade de perdas técnicas e científicas irreparáveis permanecem remotas e serão retomadas presencialmente na Fase 3.2 do Plano de Contingência.